Buscando a legalização, Alemanha cede licenças à empresas de apostas

Compartilhe como seus amigos:

Imagem que ilustra uma paisagem típica da Alemanha

Há algum tempo a Alemanha vive o seguinte impasse: autorizar ou não as apostas online. Por certo, o serviço é um enorme sucesso em todos os quatro cantos do mundo. Só para ilustrar, somando França e Itália, as cifras ultrapassam a casa dos R$ 280 bilhões. Somente em Nova Iorque, as apostas movimentam R$ 50 bilhões. Observando essas cifras astronômicas, fica claro que legalizar as apostas é uma boa fonte de renda. Os palpites online rendem 1% do PIB na grande maioria onde as apostas estão legalizadas e regulamentadas.

Leia mais: Governo busca a desestatização das apostas no Brasil

Sabendo disso, as autoridades alemãs receberam inúmeras solicitações de instituições de apostas. Mais precisamente 50 pedidos. O intuito dessas empresas é explorar o mercado germânico. Isso incluí o estado de Hesse, localizado no centro do país. A administração de Hesse analisou todas as solicitações recebidas. Assim, decidiu em liberar 15 licenças. Isso se deu meses depois de uma suspensão. Vale ressaltar que o aval vale para o ambiente web, sites, e até mesmo para apostas físicas. Dentre as 15 selecionadas está a Bet365, reconhecida mundialmente por sua qualidade. No Brasil, a Bet365 é a predileta dos apostadores, e está entre as melhores do país, senão a melhor.

Uma vez liberadas, as apostas online serão legais pela primeira vez na história da Alemanha. Vale lembrar que, no início do ano de 2020, o país optou em realizar um período experimental nas apostas online. O ciclo vale até 2021, ano em que as apostas devem ser de fato liberadas. A decisão vigora em todos os 16 estados da Alemanha. Sem dúvida, o país trabalha a todo vapor para regularizar de vez as apostas. Entretanto, o primeiro passo é construir uma estrutura sólida. Para isso, somente liberando de maneira gradual e experimental. Ou seja, Alemanha segue o melhor caminho. Mesmo que ele seja mais demorado, é o mais confiável e, que  provavelmente, reduzirá prejuízos. Prejuízos ao próprio governo e também aos apostadores.

Leia mais: Na contramão da Holanda, Suécia enrijece leis contra apostas online
“Esta é a primeira vez que o regulador cria uma base legalmente segura para provedores privados de apostas esportivas. É um passo importante que nos permite continuar a expandir a nossa oferta, principalmente nos canais online e mobile – afirmou Jürgen Irsigler, diretor administrativo da Admiral Sportwetten.

Por certo, as legalizações e regulamentações são muito benéficas. Afinal, as duas partes ganham com isso. Enquanto o governo alemão lucra, os apostadores ganham tranquilidade e segurança para realizar seus palpites. Além de aumentarem suas chances de lucro. Certamente, casas ilegais podem parecer atrativas, mas rendem mais prejuízos do que lucros, aos apostadores.

OUTRO 7 X 1 DA ALEMANHA?

Nada disso! O Brasil também caminha pela liberação das apostas. Contudo, o país está a frente dos alemães. Aqui, sites de apostas esportivas e casinos podem operar livremente. Mas não possuem permissão de trabalhar em território brasileiro. Desse modo, devem estar hospedados em outros países. Ou seja, quem ganha, no momento, são os apostadores. Afinal, o governo vê grande parte dos lucros saírem e encherem os bolsos de outras nações.

Leia mais: Bet365, a predileta dos apostadores brasileiros

 

Foto destaque: Reprodução – Internet/ Arte –  Shaftscore

Compartilhe como seus amigos: