Romildo Bolzan dá versão do Grêmio sobre confusão na Arena

Compartilhe com seus amigos:

Romildo Bolzan dá versão do Grêmio sobre confusão na Arena

Nesta segunda-feira (22), em entrevista coletiva no CT Luiz Carvalho, o presidente do Grêmio deu a versão do clube sobre a confusão na Arena. A saber, gremistas se envolveram em uma pancadaria durante o duelo com o Cruzeiro no domingo (21).

Assim, a justiça decidiu punir torcidas organizadas e fechar um setor do estádio. De acordo com Romildo Bolzan, o Grêmio concorda com a punição das organizadas e que cada um pague individualmente. Mas o clube discorda da interdição do setor norte inferior, onde aconteceu a briga. O presidente gremista disse que vão recorrer da decisão e tentar reabrir a arquibancada ao público.

Romildo Bolzan condena briga, mas discorda de interdição do setor

O presidente do Grêmio, Romildo Bolzan, não gostou da decisão do juíz Marco Aurélio Xavier, do Juizado do Torcedor e Grandes Eventos. Apesar de concordar com a punição pessoal do envolvidos e das torcidas organizadas, o mandatário tricolor não curtiu a interdição do setor norte inferior da Arena. Os 90 dias de fechamento do local só terminaria em 22 de novembro, após o fim da temporada. Assim, o Tricolor teria uma perda de receita.

“Esse processo está correndo e a decisão foi no sentindo extra petita. Ministério Público pediu a suspensão das torcidas organizadas. Nunca pediu a interdição do espaço. Se alguém pensa que o Grêmio negligenciou ou deixou de fazer algo combinado. Grêmio tomará todas providencias jurídicas, sem exceção. Vai examinar todas decisões judiciais. Aquelas que não foram julgadas, as que foram tomadas sem as provas necessárias. Vai tomar como tema a decisão do juiz e pelos autos no processo”, disse Romildo Bolzan.

Ao dar sua opinião sobre o que deveria ser feito neste caso, Romildo Bolzan disse que o Grêmio vê como justa a punição apenas dos envolvidos com a briga. De acordo com ele, a punição individual é o caminho certo, não a coletiva.

“Grêmio trabalha na busca de responsabilizações pessoais. Os que brigaram, que não têm condição do convivio social, têm que ser punidos exemplarmente. Se tivermos condição disso, vamos fazer. Por outros exemplos e precedentes que aconteceram, é injusto interditar o local. É uma punição coletiva, o que é errado“, continuou.

Romildo Bolzan promete excluir sócios envolvidos

Por fim, Romildo Bolzan fechou a coletiva prometendo que o Grêmio irá excluir qualquer sócio torcedor que esteve envolvido na confusão. Mas disse que o clube se surpreendeu com a briga generalizada, mesmo com os problemas de autenticação que as catracas do setor norte passaram momentos antes da partida. Mas declarou repúdio aos fatos acontecidos na Arena e disse que condena o uso da violência.

Fomos surpreendidos com a briga que aconteceu. Lamentamos. Não apoiamos. Somos combatentes. Grêmio não aceita, não tolera, não concorda com ato de briga, com o risco ao convívio social. Isso não pode ser passada a mão e muito menos ser condencendente. Nós condenamos e achamos ruim ver mulheres e crianças serem colocadas em risco. Estamos fazendo todo esforço interno. Temos identificações, colaborações para achar os culpados. Se for sócio, nem se fala. Vamos tomar as providências de exclusão”, garantiu Romildo.

Foto destaque: Divulgação / João Victor Teixeira / Ge

Compartilhe como seus amigos:

Outras publicações de seu time: