Ceni se compara a Telê em cobrança mas avisa: “Falta títulos”

Compartilhe com seus amigos:

Ceni se compara a Telê em cobrança mas avisa: “Falta títulos”

O técnico Rogério Ceni se inspira em Telê Santana, o maior ídolo do São Paulo como treinador, para ser melhor em sua carreira. Em entrevista para o UOL Esporte, o comandante afirmou que puxa algumas características do histórico técnico, como a chatisse e cobrança sobre os jogadores.

“Primeiro, perfeccionismo com o gramado. Tentar fazer com que o gramado todo dia esteja bom, molhado, cortado… sempre atento a isso. E eu acho que a chatice também, de cobrança, de tentar exigir o melhor do jogador, o horário e a disciplina”, disse Ceni.

“Eu só não tenho os títulos que ele tem, as duas Libertadores e os dois Mundiais. E ele era um cara muito enérgico, eu acho que sou bem mais tranquilo que ele nesse sentido fora do campo. Dentro do campo sim, faço as cobranças”, prosseguiu.

Logo depois, Rogério relembrou momentos de Telê quando esteve como jogador no São Paulo, logo no início de sua carreira. Para ele, o ex-técnico era muito profissional e comprometido com o trabalho, sempre com muita cobrança e poucos sorrisos.

“Ele acrescentou muito na minha carreira, me mostrou o que era profissionalismo, comprometimento, ser sério no trabalho. Ele era assim todo dia, era sempre o mesmo Telê, poucos sorrisos”, afirma Ceni.

“Sempre gostei muito de treinar, então chegava muito cedo e o Telê gostava muito disso. Os treinos eram às 9h, eu chegava às 8h30 pronto no campo. Ainda faltavam dois ou três atletas no ataque, faltando uns 20 minutos para o treino começar, mas o Telê não esperava e me mandava ir ao gol. Então, trabalhava no gol sem sequer ter aquecido. Depois que o Telê ficou doente, não tinha quem me treinasse mais cedo”, finalizou Ceni.

Casares fala sobe reforços em 2023

O São Paulo não deve repetir o mesmo protagonismo que teve nesta temporada em 2023 no quesito mercado de transferências. Foram 12 reforços contratados em 2022 e segundo o presidente Julio Casares em entrevista para o UOL Esporte, o time está com uma base montada e serão contratados apenas atletas pontuais.

“É um elenco que nos levou à final de um Paulista, que nos levou a duas semifinais, portanto é um elenco competitivo. Como você falou, teve uma antecipação, sim, de valores, e o São Paulo vai estar sempre atento em 2023 a uma questão de reposição pontual, a alguma coisa nessa sentido, porque também saíram alguns jogadores”, comentou o presidente do São Paulo, Julio Casares.

O mandatário foi perguntado sobre a possibilidade da quantidade de reforços aumentar em caso de saída de alguns jogadores. Léo teve proposta do futebol francês, que pode voltar a procurar o atleta. Assim, Casares falou em dinamismo, mas relembrou que tem jogadores que ainda estão com poucos minutos e precisam se ambientar.

“É algo muito dinâmico, mas a linha principal de reforços foi feita. Oportunidades ou reforços pontuais estão sempre sendo olhados. Tem jogador que chegou há pouco tempo, e você precisa ter um olhar mais amplo para avaliar tecnicamente”, concluiu Casares.

Sobre as dívidas, o presidente foi bem taxativo ao afirmar que o trabalho está sendo feito, em conjunto com outros departamentos no clube. Ainda de acordo com Casares, a diretoria vai começar a reverter os prejuízos da dívida neste momento.

“O São Paulo, hoje, tem todos os setores estratégicos de marketing, de futebol, comunicação, financeiro, governança, já profissionalizados e com bons resultados. A dívida está organizada e vamos começar a reverter o processo agora. É um trabalho a longo prazo”. concluiu.

Compartilhe como seus amigos:

Outras publicações de seu time: