Nahuel Bustos e Ferraresi: entenda a parceria entre São Paulo e Grupo City

Compartilhe com seus amigos:

Nahuel Bustos e Ferraresi: entenda a parceria entre São Paulo e Grupo City

O São Paulo anunciou as chegadas de Nahuel Bustos e Nahuel Ferraresi nesta janela de transferências. Em suma, ambos os atletas pertencem ao Grupo City e foram contratados por empréstimo de um ano, com prorrogação para mais dois. Dessa maneira, muito se especulou sobre uma parceria entre as partes. Assim, o presidente Julio Casares falou ao GE sobre o que de fato existe.

– Estamos falando de um grupo empresarial de futebol que é o maior do mundo, não tenho receio de afirmar. Tem nove ou dez clubes, em expansão. O São Paulo romper as fronteiras brasileiras para ter relação promissora com o Grupo City, um time da Premier League, a Liga que mais investe em atletas brasileiros, é para nós um momento de orgulho. O São Paulo volta a ter credibilidade.

– A nossa parceria é simples. Realmente tenho uma boa relação com o CEO do grupo (Ferran Soriano), já estive lá, e isso vem sendo construído há muito tempo. Não há nenhuma contrapartida de base, nada. Existe um entendimento de que o São Paulo, trazendo dois jogadores, pode dar ao City, além de uma vitrine especial, um benefício esportivo. Com todo respeito ao Estoril, ao Palermo, o São Paulo tem ressonância importante nas competições, com sua camisa, sua história. Acho que é um ganha-ganha. O São Paulo ganha com dois grandes atletas para compor o elenco, e o Grupo City tem uma vitrine muito boa para que eles possam ficar aqui, temos opções de compra, ou caminhar num clube de maior potencial. Claro que leva adaptação, todo jogador novo leva um tempo de adaptação. É outra cultura, outro ritmo de treinamento, outro calendário.

Quem pagou por Galoppo?

Na última janela de transferências, o São Paulo anunciou a contratação do meio-campista Giuliano Galoppo, de 23 anos. O jogador chegou com pagamento à vista feito ao Banfield, seu antigo clube. Na ocasião, houve muitos rumores sobre de onde a diretoria tirou 4 milhões de dólares para comprar o atleta. Assim, em entrevista para o GE, o presidente Julio Casares esclareceu a situação.

– Nós temos uma operação de marketing em que não posso revelar nomes. Mas é um projeto de marketing. Às vezes, as pessoas se confundem e falam “investidor”. O patrocinador de uma camisa, da manga, de uma placa de publicidade, é um patrocinador que também é um investidor. Se patrocino uma camisa, também estou investindo. Não há um investidor pessoa física. Essa é a confusão que se dá. Isso é tudo através de um projeto de marketing, de uma operação e uma plataforma de ações de marketing com que viabilizamos a vinda dele – afirmou o mandatário tricolor.

– O importante é o seguinte: tivemos a saída do Gabriel Sara, a saída do Rigoni. Nós nos esforçamos para ter reposição, para que o elenco tivesse mais opções. Já tivemos muitos jogadores no departamento médico. Estamos antecipando essas reposições porque, se vai repor já em 2023, você perde uma fase decisiva. Ao disputar três competições simultâneas, você acaba sofrendo muito, a comissão técnica acaba sofrendo com contusões e saídas. A vinda dele e a parceria com o Grupo City na vinda do Bustos e do Ferraresi foram pra tentar buscar a manutenção do elenco sem muito desfalque e também antecipar 2023. Já entra em 2023 com o grupo muito bem, talvez 90% ajustado.

Compartilhe como seus amigos:

Outras publicações de seu time: