Vítor Pereira revela que Roger Guedes e Yuri Alberto não irão jogar juntos; entenda

Compartilhe com seus amigos:

Vítor Pereira revela que Roger Guedes e Yuri Alberto não irão jogar juntos; entenda

A atuação abaixo do Corinthians na última quarta-feira (28), contra o Atlético-GO, Goiânia, esclareceu uma dúvida na cabeça de Vítor Pereira: o ataque. Segundo o treinador, Roger Guedes e Yuri Alberto não formaram uma dupla de ataque.

E a afirmação do português não é por questões ofensivas. Para ele, o problema é no setor de marcação: não dá para ter segurança defensiva pelas pontas com esses jogadores, revelou Vítor Pereira.

“A opção por jogar com Róger e Yuri foi minha, só eu tenho que assumir a responsabilidade, mas não me parece que a gente consiga defender os corredores dessa forma. Para mim, claramente, não dá, não dá. Dessa forma, não dá. Eles (Atlético-GO) criaram situações de dois conta um nas laterais porque defendemos mal”, disse o treinador.

Contra o Coritiba, na penúltima rodada do Brasileirão, a vitória por 3 x 1 não valeu somente os três pontos. A equipe venceu e convenceu, recebendo elogios pelo “ataque dinâmico”. Contra o Atlético-GO, porém, a dupla, Roger Guedes e Yuri Alberto, não foi bem ofensivamente e se mostrou decisiva para o domínio do adversário.

No segundo ataque do Atlético-GO, o problema já ficou mais nítido. Jorginho recebeu na intermediária do ataque e abriu na direita. Wellington Rato dominou de frente para Lucas Piton, que viu o atacante se aproximando, Dudu se lançando na lateral e Willian Farias chegando pelo meio. Três contra um. Uma marcação afrouxada do Corinthians, muito por conta de não ter um jogador de ataque que recue mais.

O primeiro gol do Atlético-GO também explica bem a opinião de Vítor Pereira. Róger Guedes, já posicionado no campo de defesa, não conseguiu interceptar o cruzamento saído da direita. E Cantillo não acompanhou Jorginho se infiltrando para finalizar na área.

Roger Guedes e Yuri Alberto nunca mais irão atuar juntos?

 

A princípio, neste tipo de jogo, a tendência é que o treinador utilize mais jogadores de marcação. No entanto, a presença dos dois no ataque pode acontecer em algumas ocasiões, por exemplo em jogos dentro de casa. Na volta, dia 17 de agosto, a tendência é que os atacantes joguem juntos, mesmo que um comece no banco. Vai depender muito de como o jogo se apresenta.

Mas o que pode mudar?

 

Entre opções para tentar solucionar esse problema, Vítor Pereira pode utilizar Adson, que foi o jogador que entrou no lugar de Roger Guedes no 2º tempo contra o Atlético-GO, ou Gustavo Silva, que já fez a função de ala nesse time. Quem ocupava essa posição era Mantuan, mas o jogador deixou a equipe e se transferiu para o Dínamo de Kiev, da Rússia. O jovem foi uma compensação do Timão para a chegada de Yuri Alberto, assim como o goleiro Ivan.

São dois atletas que atuam, predominantemente no setor ofensivo, mas que conseguem se recuperar e ajudar no setor defensivo. Além disso, contribuem muito ao Corinthians quando estão em campo, principalmente nas participações em gols. Adson tem cinco gols e uma assistência na atual temporada, enquanto Gustavo Mosquito tem três gols e três assistências neste ano.

Foto destaque: Divulgação / Heber Gomes / AGIF

Compartilhe como seus amigos:

Outras publicações de seu time:

William confirma saída do Corinthians
Corinthians
André Merice

William confirma saída do Corinthians

Os rumores sobre uma possível saída de Willian se concretizaram. O meia-atacante confirmou, na última quarta-feira (10), que deixará o Corinthians. O jogador acerta os

Leia mais »