Maurício Souza fala sobre empate e substituições feitas

Compartilhe com seus amigos:

Maurício Souza fala sobre empate e substituições feitas

O empate sem gols do Vasco, dentro do Maracanã, frustrou a torcida. Decerto, o estádio estava completo, com mais de 60 mil torcedores, mas a equipe não conseguiu vencer o rival nordestino. Agora, com 31 pontos, a equipe continua em segundo lugar, mas perdeu a vantagem para o quinto colocado, de nove para oito pontos.

O técnico Maurício Souza, após a partida, comentou o resultado. Decerto, para o treinador, o empate foi injusto e que, pelas chances, o cruzmaltino merecia os três pontos:

“Lidar é tranquilo, o problema é que a gente sai com um sentimento de frustração de não poder dar alegria à torcida. Ela veio, fez sua parte, lotou o estádio e incentivou durante os 90 minutos. Infelizmente a gente não conseguiu transformar o bom jogo que a gente fez em boa parte dele em gols. Isso aí a gente encara com naturalidade. A gente espera que no próximo jogo em casa ela volte nos apoiar porque tem sido fundamental na campanha. A gente sabe a dificuldade da competição e que isso pode acontecer toda vez que o resultado não acontecer”.

Substituições da equipe do Vasco

Decerto, Maurício Souza tentou explicar as substituições que fez durante a partida. A mais diferente, das cinco, foi a entrada de Riquelme no lugar de Gabriel Pec. O jovem lateral entrou na linha de atacantes, para dar mais drible e velocidade, mas não deu certo:

“O Riquelme tem uma vocação ofensiva muito grande. A gente optou em ter o Riquelme para continuar com uma pé esquerda por ali. A entrada do Erick talvez tivesse que alterar a perna do Figueiredo para o lado esquerdo. A gente acreditava que o Riquelme, através de uma jogada individual, poderia fazer uma dobradinha já que o Edimar não ia tanto. Jogador que tem ímpeto, que vai para dentro. É um jogador mais leve num jogo cansativo. Foi só possibilidade de entender que o Riquelme poderia dar profundidade pelo lado esquerdo”.

Depois, falou sobre as entradas de Juninho, Getúlio, Bruno Nazário e Zé Vitor. A equipe não rendeu o esperado e no fim, a torcida xingou Maurício, que acumula dois resultados ruins agora:

“Quando pensamos na primeira substituição, do Juninho no Yuri, a ideia é empurrar o time para frente, dar saída ao Andrey e deixar o Juninho mais próximo. Eu não enxergava a equipe mal naquele momento para começar a trocar. Via minha equipe equilibrada com dificuldade para chegar no terço final, porém com o Raniel perturbando demais a defesa. A defesa do Sport muito segura e, se não me engano, a menos vazada da competição. Depois o Danilo sentiu cãibras. Optamos pelo Getúlio no lugar do Raniel, que estava deixando um pouco cair. Eu não acredito que as substituições foram tardias”.

Foto destaque: Reprodução/CRVG

Compartilhe como seus amigos:

Outras publicações de seu time: