Vasco responde mais uma rodada de questões da SAF

Compartilhe com seus amigos:

Vasco responde mais uma rodada de questões da SAF

Na manhã desta segunda-feira (25), o Vasco usou seu canal oficial para responder mais uma série de questões sobre a SAF. Com a participação do Presidente do Conselho Fiscal, João Marcos Amorim, e o Segundo Vice Presidente geral, Duque Estrada.

Decerto, a primeira pergunta que os poderes responderam foi sobre a possível revenda da SAF. Se por um acaso, a 777 Partners quiser vender seus 70%, o que pode acontecer na gestão da empresa do futebol, até mesmo se a empresa americana falir com seus outros negócios:

“A SAF será 70% da 777 e 30% do Vasco. Se o Vasco quiser vender ações, vai ter que se submeter a suas regras. Ficaremos no mínimo com 10%. Agora a 777, uma vez que ela comprou e colocou o dinheiro investido (R$ 700 milhões), ela é livre para vender. Agora o Vasco vai ter preferência nessa compra, e há compradores proibidos. Mas a partir do momento que a 777 pagou o preço e comprou as ações, ela é dona e pode vender a participação dela.

A 777 é um aglomerado. Eles têm seguradoras, companhia de aviações e um braço de entretenimento e esportes. Eles estão trabalhando firme na formação de uma grande empresa. Falar em falência da 777 é uma coisa estrondosa. O que temos é uma cláusula que nos garante a nossa capitalização. Caso eles não aportarem o dinheiro, eles perdem o que compraram. Essa é a garantia que temos”.

Investimentos e janela do Vasco

Decerto, já sobre a janela atual e o investimento que a equipe receberá, Duque Estrada galou sobre todo o aporte que vai movimentar o futebol. Os 700 milhões de reais, em três anos, fará o Vasco revolucionar seu elenco, com possibilidades de contratações fora do costume do clube nos últimos 20 anos.

A previsão é de que o time use 250 milhões já em 2023 para novos jogadores e salários. Outra questão foi a possibilidade da 777 ajudar na atual janela, que está aberta, já que a SAF ainda não foi aprovada. Em suma, pelo bom relacionamento entre as partes e a crença da votação, no mais tardar, no dia 7 de agosto, há chances de um novo dinheiro entrar na jogada agora:

“Queremos um time competitivo e vencedor. O nosso contrato garante até 2026 um valor fixo mínimo de investimento no futebol, que já é bastante substancial. Imaginamos que com um orçamento dessa grandeza, teremos investimentos e vamos para as cabeças. Retornar à Libertadores e ter uma condição mais vencedora. O investimento mínimo já é um valor considerável. Tenho certeza que teremos times competitivos já a partir de 2023 para disputar e ganhar títulos, que é o que todos almejam

O Vasco está conversando com a 777, a relação é bastante próxima. Estamos fazendo uma transição, mas tudo depende da conclusão do negócio. Mas dentro do possível, e eles dispostos a antecipar algum recurso, por que não? Mas vamos aguardar o desenrolar e queremos fazer com que isso aconteça dentro dessa janela”.

Foto destaque: Reprodução/CRVG

Compartilhe como seus amigos:

Outras publicações de seu time: