Bruno Prado comenta participação do São Paulo nas copas: “Não tem chance”

Compartilhe com seus amigos:

Bruno Prado comenta participação do São Paulo nas copas: “Não tem chance”

Neste domingo (28), o São Paulo acabou sendo derrotado pelo Fortaleza, atuando no Estádio do Morumbi, em partida válida pela 24ª rodada do Campeonato Brasileiro. No meio de semana, o time teve compromisso importante pela Copa do Brasil e foi vencido. Para o comentarista Bruno Prado, da Jovem Pan Esportes, o Tricolor Paulista não tem chances no nacional.

“Eu acho que (o São Paulo) não tem chance nenhuma contra o Flamengo. No primeiro jogo, jogou quase o máximo que poderia e perdeu. Esse tipo de virada acontece, mas é muito raro. Como é algo grande, a gente acaba lembrando de algumas. É muito difícil acontecer. Se tiver apertado no Brasileiro, tem que ser muito realista. Isso aqui é quase impossível de reverter”, disse, durante o programa da Jovem Pan.

O São Paulo volta para campo na próxima quinta-feira (1), para enfrentar o Atlético-GO, em partida válida pela ida das semifinais da Copa Sul-Americana. A bola rola em Goiânia a partir das 21h30 (horário de Brasília).

Rogério Ceni analisa o resultado negativo

Logo depois da partida, o técnico Rogério Ceni analisou o confronto.

– Jogo que controlamos desde o princípio, sofremos um ou outro contra-ataque, e eles conseguiram fazer o gol numa das poucas finalizações que tiveram. No segundo tempo, um volume muito grande do time, com bola na trave, grandes defesa… Controle de jogo bom, e eles em umas escapadas ou outras, tiveram felicidade de fazer gol no primeiro tempo. Infelizmente que, mesmo com tantas e boas oportunidades, não conseguimos marcar – afirmou o treinador.

Em seguida, ao ser perguntado sobre a falta de um goleiro que “decida” jogos, o treinador falou sobre o número de chances criadas pelo seu time e as do adversário. Bem como, relembrou o duelo contra o Flamengo, no meio de semana.

– A gente finaliza muito no gol adversário, os times não finalizam tanto. O Flamengo finalizou quatro, o Fortaleza só uma no nosso gol. O duro é se o nosso goleiro fosse sempre o melhor em campo fazendo oito defesas, era preocupante dando muitas chances ao adversário – comentou o técnico.

Fala de pontaria

Mais tarde, comentou sobre a falta de pontaria dos seus atacantes. Em suma, mais uma partida o time comandado pelo ex-goleiro finalizou muito mais do que o adversário, mas não conseguiu converter as chances em gols. Ceni saiu em defesa.

– Confio nos meus atacantes, eles sabem disso. Trabalho de finalização quase todo dia é feito. É questão de momento, paciência. O torcedor confia no Calleri, no Luciano. Fica chateado porque vê seu time perder, mas tenho certeza que eles confiam em quem faz a definição. Que tenham calma e lucidez pra voltar a fazer os gols que fizeram tantas vezes – disse Ceni.

Por fim, o comandante falou sobre a expectativa da torcida para a próxima partida, contra o Atlético-GO, válido pelas semifinais da Copa Sul-Americana. Como resultado, após o apito final no Estádio do Morumbi, a torcida começou a cantar: “É quinta-feira”.

– Eu vi um ambiente todo o jogo, torcedor incentivando, gritando. O que mudou é que perdemos os jogos. Futebol é emotivo, impulsivo. Ficamos chateados. A gente bate nos adversários e não consegue vencer. Tarde fria, torcedor incentivando, mais de 30 mil pessoas… A gente lamenta não entregar a vitória ao torcedor. Estamos tendo oportunidades, a bola não está entrando. É hora de ter calma, não perder o trabalho que está fazendo. E na próxima ter capacidade e frieza para fazer os gols.

Compartilhe como seus amigos:

Outras publicações de seu time: