Mário Bittencourt exalta Fred: “Maior ídolo do clube na era moderna”

Compartilhe com seus amigos:

Mário Bittencourt exalta Fred: “Maior ídolo do clube na era moderna”

O presidente do Fluminense, Mário Bittencourt, elogiou o ídolo Fred, que fará sua despedida dos gramados no próximo sábado (9). Assim sendo, afirmou que o atacante é o maior ídolo do Tricolor na era moderna. Desse modo, o colocou ao lado de Castilho, o goleiro que amputou o dedo mindinho da mão esquerda para não desfalcar a equipe. E que temais jogos pelo clube, 698.

É o maior ídolo meu, como torcedor, e acho que é o maior ídolo do clube da era moderna. Acho que os dois maiores ídolos são Fred e Castilho. O Castilho por ter amputado uma parte do seu corpo para jogar pelo clube em uma época em que o futebol era um pouco mais amador, hoje é um grande negócio. E por que acho que o Fred se coloca nessa prateleira? Para mim é o maior porque não vi o Castilho jogar. Quem viu, meu pai, por exemplo, é aficionado pelo Castilho” disse Mário Bittencourt.

Em seguida, completou que, nos dias atuais, é muito mais difícil jogadores terem algum vínculo com os clubes:

Mas justamente pelo fato de na era moderna ser tudo muito volátil, jogadores mudarem de clube muitas vezes e muito rápido, e terem pouco vínculo com as instituições, acho que não vamos ter outro no Fluminense igual. E talvez em nenhum outro clube. Como foi o Rogério Ceni no São Paulo e ele aqui. Por isso, e diante de tudo que está acontecendo, de tudo que fez, de toda a relação simbiótica com a torcida, ele se transforma, na minha opinião, no maior ídolo da história do clube”.

Estátua do ídolo Fred

Além disso, Mário Bittencourt afirmou que o ídolo Fred merece uma estátua nas Laranjeiras. Contudo, afirmou que deve ser uma iniciativa da própria torcida. A saber, atualmente, três jogadores têm bustos na sede do clube. O goleiro Carlos Castilho, inaugurado em 2006, e Assis e Washington, conhecidos como o “casal 20”, inaugurados em 2015.

De que forma? Sei lá, fazendo um “crowdfunding” (financiamento coletivo), a torcida se juntando para fazer. E eu já me coloco aqui à disposição de repente como primeiro torcedor a fazer a contribuição para a estátua do Fred. Se a torcida fizer uma estátua dele, se for um desejo dela com a contribuição de cada centavo vindo do torcedor, do mais humilde ao mais rico, seria fantástico. Seria histórico pelo fato de saber que o símbolo que vai ficar pelo resto da vida foi feito pela torcida que ama o seu ídolo”.

Reparação de erro histórico

Ainda segundo o presidente Mário Bittencourt, trazer Fred de volta ao Fluminense foi a reparação de um erro histórico. A saber, o atacante foi vendido ao Atlético-MG com a justificativa de ser um jogador caro. Contudo, o mandatário afirmou que foi um movimento sem sentido. E lembrou que, após a saída do ídolo e capitão, o clube trouxe sete ou oito jogadores que, somados, custavam muito mais do que ele.

O argumento era que ele era um jogador caro. O maior ídolo da história do clube não vai ser caro nunca porque ele entregou proporcionalmente aquilo que a gente fez por ele também. Sempre foi uma relação profissional, sim, mas uma troca eu diria que completa: Fluminense dando a ele toda as condições para ser um grande jogador, e ele entregando gols e títulos. Foi um erro histórico, talvez o maior erro da história do clube. Só não é trágico porque ele retorna, senão teria sido trágico” encerrou Mário Bittencourt.

Foto destaque: Marcelo Gonçalves / Fluminense FC

Compartilhe como seus amigos:

Outras publicações de seu time: